quinta-feira, 6 de novembro de 2008



Sempre que me perguntam.
Sempre que me apertam.
Sempre que me seguram contra a parede.
Sempre que me falta o ar...

Eu sinto vontade de correr.




Pra longe.




Corri o suficiente pra poder voltar.

Voltar para os que sempre me perguntam.
Voltar para os que sempre me apertam.
Voltar para os que sempre me seguram contra a parede.
Voltar com um pouco mais de ar.

Pra respirar fundo e dizer:

Chegou minha vez de calar!

4 comentários:

Guilherme Wladeka disse...

O menina...

Cada vez melhor.

Saudade.

Carlos Martins disse...

Pois é, não é que eu voltei também...

Il silenzio no fa errori!

Beijos!

Cecilia disse...

Eita, ta arrebentando hein sinhá?
Eita orgulho danado dessa minha amiga!
Bjos

Adailton disse...

Que surpresa boa! Estava sentindo muita falta desses espaços...
Então, o "Manual..." suicidou-se de vez, quer dizer, não sei se é definitivo mas, tanto eu quanto o Everton estamos numa fase em que não tem dado tempo de colocar as idéias em função do blog. Tentamos no começo do ano um retorno meio frustrante e depois disso ficou evidente que não estava dando para conciliar. Enquanto não há resquícios de volta, vou passando por aqui de vez em quando e me deliciando com suas palavras, sempre fugindo das perguntas, dos apertos, das paredes e buscando um pouco mais de ar. Obrigado pela lembrança, grande beijo e até breve.