terça-feira, 29 de junho de 2010



Na verdade, eu acho que tem muito de mim por aqui.
Essa é a trava. Falta um pouco de espaço. De jeito.
Preciso de um tempo sem me ler nessas linhas.
Me leve para outros sonhos...
Me ensine novas maneiras de contar histórias que não são minhas.
Mesmo que tão minhas elas se tornem.
Mesmo que tão minhas elas realmente sejam.



"(...)Penetra surdamente no reino das palavras.
Lá estão os poemas que esperam ser escritos.
Estão paralisados, mas não há desespero,
há calma e frescura na superfície intata.
Ei-los sós e mudos, em estado de dicionário.
Convive com teus poemas, antes de escrevê-los.
Tem paciência, se obscuros. Calma, se te provocam.
Espera que cada um se realize e consume
com seu poder de palavra
e seu poder de silêncio.
Não forces o poema a desprender-se do limbo.
Não colhas no chão o poema que se perdeu.
Não adules o poema. Aceita-o
como ele aceitará sua forma definitiva e concentrada
no espaço. (...)"
(Procura da Poesia - Carlos Drummond de Andrade)






*Foto tirada numa aula de vôo rumo ao infinito em mim.
* Texto editado.

2 comentários:

Daniela disse...

Oi Jaque, beleza?!

Amei o blog, parabéns!

Bjão

Dani

Sobrepuja - se disse...

Poesia linda...ahh amo poesia
BLog interessante...

vou te seguir =)